O COLO QUE ACALMA

HUMANIZAÇÃO EM UTI NEONATAL, MÉTODO CANGURU

Autores

  • Janaína Cardoso de Oliveira
  • Melissa Karine Bissi da Luz
  • Gercilene Cristiane Silveira

Palavras-chave:

MÉTODO CANGURU, HUMANIZAÇÃO, UTI NEONATAL

Resumo

Introdução: Humanizar e tornar possível o ato de cuidado único e complexo com o ser humano, onde é principal o respeito e a compaixão para com o outro. Essa palavra tem um significado muito grande dentro de uma unidade de terapia intensiva neonatal, onde se há o cuidado integral ao recém-nascido grave ou potencialmente grave, que por variáveis condições levou esse RN a precisar desses cuidas mais avançados, e essa humanização também incluem os pais para criar e aumentar o vinculo com seus filhos. Varias terapias são incluídas aos cuidados com o RN, fora a parte medicamentosa também existe o cuidado chamado toque terapêutico, que nada mais é, que o contato pele a pele com o bebe, de uma forma gradativa, até chegar à posição canguru. O MC consiste em manter o recém-nascido de baixo peso, em contato pele-a-pele, na posição vertical junto ao peito dos pais ou de outros familiares. Deve ser realizada de maneira orientada, segura e acompanhada de suporte assistencial por uma equipe de saúde adequadamente treinada.  Ministério da Saúde (2002) descreve que o método canguru se divide em três etapas, a primeira é a chegada ao RN a UTI onde é explicado para os sobre a saúde do bebe e suas necessidades no momento, deixar livre a demanda do toque entre os pais e o bebe, na segunda etapa a mãe ou responsável legal do RN é orientada sobre identificar possíveis complicações que podem ocorrer, como por exemplo, mudança de coloração ou ate mesmo parada respiratória. Para essa etapa o RN precisa apresentar ganho de peso e estabilidade, assim que a equipe de enfermagem e medica estiver de acordo, a posição canguru já é possível, sendo realizado ate o momento em que for prazerosa para ambos, RN e pais, na terceira etapa a criança recebera alta se atingir 1.500g e com boa pega e sucção na amamentação, os pais terão o compromisso de levar esse RN para o ambulatório para orientações e verificação do desenvolvimento. Objetivo: Trazer a realidade sobre o MC e os seus benefícios, juntamente com o cuidado humanizado prestado para o RN e familiar. Método: Foi utilizado o método de estudo do tipo descritivo de revisão bibliográfica, com o levantamento de artigos, sendo levadas a questão humanização, UTI neonatal e MC. Resultados e discussão: Foram avaliados que os benefícios do MC são totalmente consideráveis para a melhora do RN tanto neurais como psicoativo desenvolvimento na movimentação e tônus muscular, estimulo no aleitamento materno, ganho de peso, diminui riscos de infecção, e ajuda na confiança entre pais e equipe de enfermagem, aumentando o vinculo entre RN e família, e melhorando o seu desenvolvimento. Considerações finais: Foi possível compreender que a presença plena dos pais ou responsável do RN faz total diferença para a melhora e desenvolvimento do mesmo, mantendo sempre humanidade ao cuidar.

Downloads

Publicado

2023-09-30

Como Citar

OLIVEIRA, J. C. de; LUZ, M. K. B. da; SILVEIRA, G. C. O COLO QUE ACALMA: HUMANIZAÇÃO EM UTI NEONATAL, MÉTODO CANGURU. Anais do Encontro de Iniciação Científica das Faculdades Integradas de Jaú, Jaú, Brasil, v. 20, 2023. Disponível em: https://portal.fundacaojau.edu.br:4433/journal/index.php/enic/article/view/310. Acesso em: 21 maio. 2024.