CONHECIMENTO DO ENFERMEIRO MEDIANTE AO PROCESSO DE RELACTAÇÃO E A TRANSLACTAÇÃO DE PREMATUROS

Autores

  • Nathalia Martins
  • Leticia Santos Veronezi
  • Letícia Bosso Moreira

Palavras-chave:

ENFERMEIRO, RELACTAÇÃO, TRANSLACTAÇÃO

Resumo

O ato de amamentar é um processo natural que desenvolve profunda relação entre mãe e filho, recomendado pela Organização Mundial de Saúde como alimento exclusivo até os 6 meses de idade. Entretanto, estabelecer o aleitamento materno é um desafio para muitos prematuros, devido à imaturidade funcional, como: falta de coordenação de sucção, deglutição, respiração e menor resistência em permanecer no peito. Sendo assim, os profissionais da área da saúde são indispensáveis no incentivo da produção de leite. Para prematuros com sonda gástrica, é necessário a realização da translactação, e para isso é utilizado um tubo plástico em uma seringa cheia de leite, inserida na boca do bebê, para que este aprenda a sugar o peito da mãe. A relactação é utilizada para reestabelecer a produção de leite através da sucção, indicado em casos em que a mãe é separada do bebê devido a tratamento intensivo. O presente estudo objetivou identificar o papel do enfermeiro diante da relactação e translactação de prematuros internados em Unidade de Terapia Intensiva neonatal. Realizou-se uma revisão integrativa, de textos publicados nos últimos 4 anos, utilizando os seguintes critérios para inclusão: texto em português e disponíveis na íntegra. O estudo mostrou que alguns enfermeiros possuem conhecimentos sobre aleitamento materno, porém, a minoria conhece ou já utilizou as técnicas citadas no estudo. Contudo, o profissional enfermeiro possui um papel essencial na conscientização da mãe sobre a importância do leite materno para o bebê, a fim de que a família opte por realizar a translactação ou relactação ao invés de optar por outra fonte de alimento. Por fim, observamos que o tema precisa ser mais explorado e estudado pelos profissionais, para maiores conhecimentos sobre o tema. Os enfermeiros que trabalham diretamente com recém-nascidos prematuros em UTIN, precisam estar preparados para prosseguir de maneira adequada em cada caso, evitando o desmame precoce.

Downloads

Publicado

2024-04-10

Como Citar

MARTINS, N.; VERONEZI, L. S.; MOREIRA, L. B. CONHECIMENTO DO ENFERMEIRO MEDIANTE AO PROCESSO DE RELACTAÇÃO E A TRANSLACTAÇÃO DE PREMATUROS. Anais do Encontro de Iniciação Científica das Faculdades Integradas de Jaú, Jaú, Brasil, v. 20, 2024. Disponível em: https://portal.fundacaojau.edu.br:4433/journal/index.php/enic/article/view/449. Acesso em: 23 maio. 2024.